É possível inscrever qualquer crédito da Fazenda Nacional na dívida ativa da União

É possível inscrever qualquer crédito da Fazenda Nacional na dívida ativa da União

A Sétima Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) deu provimento à apelação do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) contra a sentença que extinguiu a execução fiscal ajuizada para cobrança de crédito decorrente de repetição de indébito previdenciário recebido indevidamente, ao fundamento de que o referido crédito não pode ser inscrito na dívida ativa.

O INSS alegou que qualquer crédito de titularidade da Fazenda Nacional pode ser inscrito em dívida ativa, o que concede a possibilidade de a autarquia inscrever em dívida ativa os benefícios previdenciários supostamente pagos indevidamente.

Ao analisar o caso, a relatora, desembargadora federal Ângela Catão, destacou em seu voto que o crédito cobrado decorrente de repetição de benefício previdenciário recebido indevidamente não se subsume no conceito de dívida ativa e, portanto, não pode sequer ser cobrado via execução judicial, conforme entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Por outro lado, salientou a magistrada, a MP nº 780/2007, convertida no art. 11, da Lei nº 13.494/2017, trouxe a possibilidade de o INSS inscrever em dívida ativa os benefícios previdenciários pagos indevidamente ou além do valor devido, conforme o art. 115 da Lei nº 8.213/91.

Nesse contexto, afirmou a relatora, "somente a partir da entrada em vigor do referido comando legal, os lançamentos feitos sob a égide do parágrafo acrescido pela Lei nº 13.494/2017 terão respaldo legal e poderão ser cobrados por meio da ação de Execução Fiscal, o que é o caso dos autos, por se tratar de debito tributário constituído em 26/02/2018, e a inscrição em dívida ativa em 13/06/2018".

A decisão foi unânime.

Processo nº: 0003766-36.2018.4.01.3502/GO

Data do julgamento: 01/10/2019

Data da Publicação: 11/10/2019

RF

Fonte: Tribunal Regional Federal da 1ª Região

FONTE: http://www.lex.com.br/noticia_27966528_E_POSSIVEL_INSCREVER_QUALQUER_CREDITO_DA_FAZENDA_NACIONAL_NA_DIVIDA_ATIVA_DA_UNIAO.aspx

Outras notícias

NOTÍCIAS 16 à 26 de fevereiro
sexta-feira 21 fevereiro / 2020 Horário de funcionamento dos cartórios no Carnaval Ação de despejo não precisa de todos os proprietários do imóvel no polo ativo IBDFAM – Aplicada na partilha, regra que distingue união estável e casamento também deve valer na sobrepartilha, decide TJRS
quinta-feira 20 fevereiro / 2020 Clipping – ConJur – Execução contra devedor já morto não é redirecionada a herdeiros STF - Instituições são convocadas a cadastrar endereço eletrônico no STF para receber comunicações processuais
quarta-feira 19 fevereiro / 2020 ITI – ITI: Plugin para assinar e verificar as assinaturas digitais ICP-Brasil em PDF está disponível TJ/MG – CGJ publica aviso nº 14/CGJ/2020 e orienta sobre o cadastro de oficiais de cumprimento, nos termos do Provimento da Corregedoria Nacional de Justiça nº 88 CNJ – CNJ: Novas conselheiras tomam posse no CNJ Primeira Seção define que prazo prescricional aplicável à desapropriação indireta é de dez anos
terça-feira 18 fevereiro / 2020 Para Terceira Turma, condomínio é ente despersonalizado e não sofre danos morais
segunda-feira 17 fevereiro / 2020 CNJ e Anoreg/BR promovem evento sobre o Provimento 88 com especialistas do setor extrajudicial Clipping – Diário do Poder - Corregedoria do CNJ reforça integração de cartórios no combate à corrupção Quarta Turma admite flexibilizar diferença mínima de idade na adoção Imóvel com dívida tributária arrematado em leilão pode ser penhorado em caso da execução antes da alienação

 

Rua Guajajaras, 197 - térreo - Centro - CEP 30180-103 - Tel. (31) 3224-1788 - Fax (31) 3226-4387 © 2020 - Registro de Títulos e Documentos. Cartório do 2º Ofício