Registro de instituição de condomínio - Novo posicionamento para cobrança de emolumentos

CORREGEDORIA-GERAL DE JUSTIÇA
GABINETE DO CORREGEDOR-GERAL DE JUSTIÇA

AVISO Nº 9/CGJ/2018

Avisa sobre o novo posicionamento da Corregedoria-Geral de Justiça do Estado de Minas Gerais, relativo à forma de cobrança de emolumentos no registro de instituição de condomínio, conforme decisão proferida nos autos do Mandado de Segurança Coletivo nº 1.0000.14.095276-3/000.

O CORREGEDOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e XIV do art. 32 do Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, aprovado pela Resolução do Tribunal Pleno nº 3, de 26 de julho de 2012,

CONSIDERANDO que a Lei estadual nº 15.424, de 30 de dezembro de 2004, “dispõe sobre a fixação, a contagem, a cobrança e o pagamento de emolumentos relativos aos atos praticados pelos serviços notariais e de registro, o recolhimento da Taxa de Fiscalização Judiciária e a compensação dos atos sujeitos à gratuidade estabelecida em lei federal e dá outras providências”;

CONSIDERANDO os inúmeros precedentes da Corregedoria-Geral de Justiça do Estado de Minas Gerais - CGJ sobre a matéria, amparados pelo entendimento de que, na instituição de condomínio, o ato constitutivo de direito real recai sobre cada unidade individualizada e independente, e não possui conteúdo financeiro;

CONSIDERANDO os termos da decisão proferida pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais - TJMG, nos autos do Mandado de Segurança Coletivo nº 1.0000.14.095276-3/000, que, em sentido contrário, determinou observância do conjunto das unidades autônomas e atribuiu conteúdo financeiro às escrituras públicas de instituição de condomínio;

CONSIDERANDO o que ficou consignado no processo do Sistema Eletrônico de Informações - SEI nº 0010090-40.2017.8.13.0000,

AVISA aos juízes de direito, aos servidores, aos notários e registradores do Estado de Minas Gerais e a quem mais possa interessar que, em conformidade com a decisão proferida nos autos do Mandado de Segurança Coletivo nº 1.0000.14.095276-3/000, na instituição de condomínio, o ato constitutivo de direito real dar-se-á sobre o conjunto das unidades autônomas, devendo ser considerada como ato com conteúdo financeiro, cuja cobrança observará como parâmetro o valor total do empreendimento, prevalecendo-se o maior entre aqueles previstos nos incisos I, II e III do § 3° do art.10 da Lei estadual nº 15.424, de 30 de dezembro de 2004, enquadrando-se:

I - no Tabelionato de Notas, na alínea 'b' do item 4 da Tabela 1 do Anexo da Lei estadual nº 15.424, de 2004;

I - no Ofício de Registro de Imóveis, na alínea 'e' do item 5 da Tabela 4 do Anexo da Lei estadual nº 15.424, de 2004.

Belo Horizonte, 15 de fevereiro de 2018.

(a) Desembargador ANDRÉ LEITE PRAÇA
Corregedor-Geral de Justiça

FONTE:https://dje.tjmg.jus.br/pesquisarDiarioJudiciario.do;jsessionid=CC43CC6FB6BBB79CECAC33881C85B58B? - DJE. 19.02.2018

Outras notícias

NOTÍCIAS 10 à 20 de março
terça-feira 19 março / 2019 Prazo decadencial para revisão de benefício originário não é renovado na concessão de pensão por morte Ação de paternidade que discute apenas vínculo biológico não admite extensão do pedido para analisar relação socioafetiva
segunda-feira 18 março / 2019 TJ/MG: Aprovados em concurso assumem 14 serventias extrajudiciais em Minas Gerais TST - Retenção de carteira de trabalho três anos após a morte de empregado afeta direito dos herdeiros Senado: Decreto prepara a implantação do Documento Nacional de Identidade Caixa Econômica Federal é obrigada a renegociar os contratos de financiamento habitacional celebrados até 05 de setembro de 2001
sexta-feira 15 março / 2019 Justiça eleitoral é competente para julgar crimes comuns conexos a eleitorais, decide STF Sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, lei proíbe casamento de menores de 16 anos Penhora sobre auxílio-doença não é admitida quando viola dignidade do devedor, decide Quarta Turma Honorários advocatícios equiparados a créditos trabalhistas se submetem a limite fixado por assembleia de credores
quinta-feira 14 março / 2019 Clipping – Recivil - Sistema de emissão de boletos do Recompe terá funcionamento regularizado ITI: Assinatura com certificado ICP-Brasil garantirá validade de Diplomas Digitais Ação de execução de título extrajudicial pode incluir parcelas a vencer no curso do processo Registro em cartório deve prevalecer em relação à certidão de batismo
quarta-feira 13 março / 2019 Clipping – Campo Grande News - Pensão por morte agora exige prova documental de união estável Clipping – Jornal Contábil - Descubra como tirar a segunda via da certidão de nascimento Nova lei institui CPF como documento único no âmbito federal Terceira Turma considera ilegal cobrança de taxa de conveniência na venda de ingressos on-line
terça-feira 12 março / 2019 Tribunal de Justiça defere liminar para agente delegado não perder a delegação em virtude de aposentadoria Portaria nº 9 da Corregedoria Geral da Justiça define integrantes do COGETISE Projeto permite que maior de 16 anos reconheça filho sem auxílio de representante legal Justiça autoriza mudança de registro civil
segunda-feira 11 março / 2019 Clipping – Folha de S. Paulo - Matrícula de imóvel e Renavam podem ser obrigatórios no IR 2020 Único imóvel da família não pode ser garantia de empréstimo bancário PORTARIA Nº 4.386/PR/2019

 

Rua Guajajaras, 197 - térreo - Centro - CEP 30180-103 - Tel. (31) 3224-1788 - Fax (31) 3226-4387 © 2019 - Registro de Títulos e Documentos. Cartório do 2º Ofício